Quando você ensina, transmite. Quando você educa, disciplina. Mas quando evangeliza, salva. A. R.

sábado, 25 de maio de 2013

Maria. Visão Espírita da Mãe de Jesus

As Escrituras Sagradas pouco retratam a vida de Maria Mãe de Jesus, trago algumas citações extraídas de obras como L. E. de Allan Kardec e Espíritos de Humberto de Campos e Camilo Cândido Botelho.
Boa Leitura.
Elaine Saes
As religiões cristãs têm diferentes visões de Maria.
Algumas a idolatram e a veem como uma santa. Outras colocam em um lugar de coadjuvante na história de Jesus, porém sem perder a admiração e carinho pela mãe do Cristo na sua jornada terrestre.
O espiritismo, como uma doutrina cristã, também destaca a importância de Maria, como um espírito elevado que recebeu a missão importantíssima de ser a mãe do emissário maior dos ensinamentos de Deus na Terra. Ela foi um elo imprescindível para que Jesus vivesse como homem para se tornar “o modelo de perfeição moral que a Humanidade pode pretender sobre a Terra” (trecho Livro dos Espíritos - Allan Kardec)
A biografia espírita traz informações sobre o trabalho realizado por Maria ainda na Terra, que ressaltam sua importância como um espírito elevado. Assim como os apóstolos de Jesus, ela teve papel fundamental na difusão e fortalecimento dos ensinamentos Dele.
O livro Bom Novo – Humberto de Campos – F.C.X., traz narrativas de vida de Maria após a morte de Jesus, que confirmam essa visão.
Em uma delas, Maria recebe a visita de João Batista durante sua curta estadia em Batanéia, onde se instalou após a morte de seu filho. Ela convida para morar em Éfeso, onde “estabeleceriam um pouco o refúgio aos desamparados, ensinariam as verdades do Evangelho a todos os espíritos de boa vontade e, como mãe e filho, iniciariam uma nova era de amor, na comunidade universal”.
A mesma obra narra o desencarne de Maria, assistido por Jesus. Acostumada a receber pessoas de todo tipo na casa humilde, que ficou conhecida como a “Casa Santíssima’, em que morava em Éfeso, Maria recebe a visita de um pedinte”. Como muitos faziam, ele a chama de “Minha Mãe”, no entanto, durante a conversa Maria o reconhece como o filho que viu ser crucificado, como mostra o trecho “o hóspede anônimo lhe estendeu as mãos generosas e lhe falou com profundo acento de amor – “Minha Mãe vem aos meus braços”“.
Na mesma passagem, o espírito de Humberto de Campos destaca a fala de Jesus que evidencia o progresso de Maria na Terra que ela cumpriu sua missão, mas, como espírito evoluído que se tornara continuaria seu trabalho no mundo espiritual: “Vim buscar-te, porque meu Pai quer que seja em meu Reino a Rainha dos Anjos”.
Já o livro Memórias de um Suicida – espírito, Camilo Cândido Botelho – Médium, Yvonne Amaral Pereira, aborda este trabalho de Maria nas esferas espirituais. No capítulo dedicado ao Hospital Maria de Nazaré, há várias indicações das atividades da Mãe de Jesus na espiritualidade. O trecho narra à trajetória de um comboio de espíritos que havia deixado o Vale dos Suicidas e é recebido neste hospital, que fica em uma colônia espiritual. Logo na chegada, o espírito de Camilo descreve a entrada da majestosa obra que traz, em português, os dizeres: “Legião dos Servos de Maria”.
Em outra parte do cap., o grupo é recebido no hospital, também denominado que fica em uma colônia espiritual. Logo na chegada, o espírito de Camilo descreve a entrada da majestosa obra que traz, em português, os dizeres “Legião dos Servos de Maria”.
Em outra parte do cap., o grupo é recebido no hospital, também denominado “Hospital Matriz” e um dos enfermeiros que os recebeu afirma: “Necessitais de repouso... Repousai sem receio meus amigos... Sois todos hóspedes de Maria de Nazaré, a doce Mãe de Jesus... Esta casa é dela...”.
Mariana machado
Transcrito do jornal Momento Espírita – n° 41 maio/2013 – Bauru- SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...