Quando você ensina, transmite. Quando você educa, disciplina. Mas quando evangeliza, salva.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) na visão espírita

por AMÉRICO CANHOTO
(...)
Qual a relação entre crianças índigo e TDAH
Esse assunto vale um longo bate papo. Dificuldade para manter a atenção e de memorizar? Quem não as tem? Resumindo: as crianças da nova geração se dão bem num mundo em franca aceleração sem precisar de camisas de força química: executam mil tarefas ao mesmo tempo com eficiência e qualidade. Já os normais acelerados, filhos de pais sem o devido preparo e retaguarda social e familiar, precisam de camisas de força como a ritalina para que se mantenham enquadrados nos parâmetros da velha geração. Ninguém que se preze como ser pensante pode ser contra remédios, mas quem não ousa pensar em se livrar deles deve ser expulso do planeta nesta nova era que se torna cada dia mais: hoje. Espíritas “adoradores” (o bezerro de ouro virou pó colorido; mas mata cada vez mais) das drogas como solução para a reforma íntima: depois da ritalina será que seus filhos ou netos vão herdar o vício das outras drogas que seus familiares usam para dormir, acordar, manter o nariz desentupido, manter o pênis ereto por obrigação frente a uma megera, livrar-se da azia, da intolerância, da impaciência, ou dos calores da sexualidade mal resolvida, dos abortos de existências anteriores ou desta? Teste para espíritas com TDAH. Responda de pronto: Qual a pergunta e a resposta número 235 de “O Livro dos Espíritos”? O que Jesus quis dizer com bem aventurados os aflitos? Qual a data de aniversário de sua sogra? Qual a data de nascimento e nome completo de seu chefe. Quem foi Bento 16. Qual o nome de sua colega de trabalho. Como não temos paciência nem ganhamos nada para fazer exercícios de revistas da moda. Deixamos apenas a questão: amigo espírita: Quem é você? O que veio fazer? O que está fazendo de útil?

A saúde das crianças índigo
A saúde e a sobrevivência das crianças da nova geração dependem mais da qualidade do meio do que da qualidade de existências passadas. Para reforçar o entendimento: dia destes recebi no consultório uma criança de excelente “pedigree” espírita de três gerações. E, durante a consulta a avó: médium de primeira, uma tarefeira exemplar de uma conceituada casa espírita, tentou usar-me para chantagear o neto a comer “carninha”. “Quero que o senhor fale pra ele, que se não comer carne vai ficar doente, anêmico, não vai crescer...” De repente a criança de dois anos e meio que parecia entretida (mesmo velhos e velhacos espíritas imaginam que as crianças são criaturas surdas – simplesmente não ouvem o que preocupa a incompetência dos adultos), aquela pequena criatura (em estatura) encosta e diz: “Mas, tio o que posso fazer se não consigo mastigar e comer qualquer coisa que tenha olhinhos”. Como Deus é Bom e Pai, essa senhora não mais deu o ar da graça para criticar a forma como a nora conduz a saúde de seu neto. Benza Deus, melhor para mim e para minha saúde psicológica que ela esteja sendo distraída e conduzida para especialistas que a tratem de suas dores pelo corpo, insônia, calores e calafrios... A evolução é inexorável: crianças da paz serão massacradas nas escolas sob o olhar complacente de mestras e mestres espíritas que estão mais preocupados em angariar valores para a aposentadoria do que a educar as crianças em bases mais reais (Evangelho). Onde encontrar as crianças da geração intermediária (índigos): com certeza nos consultórios de psiquiatria.

Como educá-las
Esse é o ponto mais crucial; e ao mesmo tempo o mais fácil de ser resolvido. Sou o caminho a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai senão através dos meus ensinamentos disse o Mestre Jesus. Recomendamos nossos livros já editados e os por editar (quem quiser que se habilite).

Bases científicas
As bases científicas capazes de justificar realidades e verdades cósmicas entre nós, ainda medíocres seres em evolução, sofrem a ação da lei da relatividade e da ação do tempo. O que foi a verdade da ciência ontem? E hoje? Para resumir: A cada um segundo suas obras ou capacidade de entendimento disse Jesus. Em se tratando do problema das verdades científicas a respeito dos índigos, a pergunta continua a mesma: o que são verdades científicas num mundo tão acelerado e com tantas variáveis? Exemplifiquemos: nos livros que já existem e nos próximos haverá um grande número de testes capazes de identificar índigos e portadores de TDAH. Tal e qual os de horóscopos, de tratamentos com florais e outros. Sempre, e cada vez mais fortemente, nossa similitude com os iguais nos identificará com quase tudo – e, daí precisaremos de todos os remédios para nos curar, a sós será impossível.

Bandeira índigo
Embora ainda estejamos em guerra: Jesus e os seus contra os outros, para nos trazer de volta à Confederação, nós os espíritas, na qualidade de seres mais próximos dos ideais do Mestre, portanto mais diferenciados, não precisamos de orgulhosos que carreguem estandartes nem de logotipos ou marcas para sinalizar caminhos. Eles - os índigos - de alguma forma que, os normais ainda não entendem, sabem que, o bem sempre vence. Quer tornar-se um índigo? Vibre por este planeta azul que atrai seres de outros mundos, para aprender a amar com emoção...

por
Américo Canhoto responderá as dúvidas dos leitores do Jornal dos Espíritos encaminhadas por e-mail para redacao@jornaldosespiritos.com com nome completo e cidade (não serão divulgados os dados pessoais). Casado, pai de quatro filhos. Nasceu em Castelo de Mação, distrito de Santarém, em Portugal. Médico da família, clinica desde o ano de 1978. Hoje, atende em São Bernardo do Campo e São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. Conheceu o Espiritismo em 1988. Recebia pacientes indicados pelo doutor Eduardo Monteiro. Depois descobriu que esse médico era um espírito. É autor de: “Quem ama cuida” (São Paulo: Petit Editora), “Saúde ou doença: a escolha é sua” (São Paulo: Petit Editora); “Chegando à casa espírita“ (São Paulo: Petit Editora); “Educar para um Mundo novo” (São José do Rio Preto: Editora Ativa) e “A reforma íntima começa no berço” (Santo André: Editora EBM), colunista do Jornal dos Espíritos – www.jornaldosespiritos.com e do Diário da Região de São José do Rio Preto.
leia o texto completo em:

http://www.jornaldosespiritos.com/2008/amc%282%29.htm

"A criança deve ser orientada, esclarecida, repetidas vezes.
Voltarmos aos dias da educação doméstica, quando nossas mães nos colocavam no colo, falavam conosco, ensinavam-nos a orar, orientavam-nos nas boas maneiras, nas técnicas de uma vida saudável, nos falavam de ternura e nos tornavam o coração muito doce, são os métodos para tratar as modernas crianças, todas elas, índigo, cristal ou não. Divaldo Pereira"
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...