Quando você ensina, transmite. Quando você educa, disciplina. Mas quando evangeliza, salva.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Deus - aula I


Minhas aulinhas não terão faixa etária, a linguagem deverá ser adaptada às crianças que estiverem em sala, o importante deverá ser a mensagem transmitida sobre o tema proposto.
Sempre após as perguntas é importante ouvir as respostas, e depois complementar,  o importante das aulas não é quantidade de informações, mas sim, que as crianças compreendam a mensagem. Frequentemente se fará necessário repetir, determinados assuntos, Isso será da intuição do evangelizador, conforme sentir o conhecimento e inclinações dos aluninhos.
Lembrando que no quadro deverá ficar colada figuras e frases da aula anterior, facilitando a sequência do estudo.

1a aula Retorno à Evangelização 

Depois de alguns anos sem evangelizar, foram 3 anos, deparei com uma dificuldade, preparar uma aulinha... Apesar das crianças serem as mesmas, elas cresceram, adquiriram conhecimentos, evolução no raciocínio... Estava preocupada em não ser infantil demais ou correr o risco de não ser notada, por estar falando de forma adulta. Decidi que para pressentir qual estágio estavam, começaria minha aulinha fazendo uma recapitulação, com imagens. 
Quem é Deus. Como sabemos que Ele existe... E contar a história do carneiro insatisfeito
http://amorpelascores.blogspot.com/2011/06/aula-providencia-divina-46-anos.html 
deixando a mensagem da Providência Divina.  Mostrando que Deus sabe o que é melhor para cada filho. Eis a Fé. 
Como atividade, desenho livre.

Assim foi feito.

SALA DEVE ESTAR PREPARADA
No quadro da sala, foi colado a palavra DEUS e a figura de um homem pensativo, isso já chamou à atenção  das crianças.

PREPARANDO O EMOCIONAL DAS CRIANÇAS PARA INÍCIO DA AULA.
Dado horário de início, com a luz apagada fazer um relaxamento, levando mentalmente, as crianças para uma praia ou um campo e narrar as sensações ali encontradas, como por ex: a areia, a brisa, as ondas tocando os pés... Deixar sua imaginação trabalhar... Alguns minutos depois, convidar a todos para voltar à casa de caridade onde estão sendo recebidos por irmão de luz, já na salinha de aula, façam a prece de abertura.

INICIO DA AULA
Para acabar com a curiosidade das crianças, foi explicado que aquele homem se chamava Joaquim é que estava pensativo porque seu netinho havia lhe perguntado o que era Deus, e agora nós iríamos  ajudá-lo a resolver essa dúvida.
Foi perguntado à cada criança e depois que todas foram ouvidas, às respostas foram complementadas com uma explicação.

1- O que é Deus para você?
- ... Nosso Pai, uma força, uma energia boa... quem nos ajuda...
Sendo Deus nosso Pai, somos todos irmãos, além de nós criar, Deus é criador de tudo que há no Céu e de tudo que há na Terra... É assim fomos conversando... Sempre colando imagens para enriquecer nossa aula.
Abaixo da palavra Deus, veio a palavra Pai, ao redor, figuras de planetas... Estrelas... Sol. Lua. Nuvens.... Logo mais abaixo, figuras de pássaros... Pessoas... Árvores... Flores... Animais... Frutas... Peixes...

2- Alguém já viu Deus? Ninguém disse que sim!

3- Se ninguém viu Deus, como sabemos que Ele existe?
- pelos livros... Pela natureza...
Como não podemos ver Deus, podemos, através de suas criações, perceber sua grandiosidade.
Uma criança, o Pedro, perguntou como Deus criava.
Nossa inteligência não consegue entender como Deus cria, teremos que evoluir mais e mais, para conseguirmos entender. No momento temos somente ideias.
 Continuando nossa aula, foi falado sobre os atributos de Deus. Sempre, primeiro perguntando e depois complementando.

4- Deus é Bom?
- Sim, é só observar ao nosso redor, tudo que ele criou.

5- Deus é Justo? Ele é correto, age com justiça na suas criações? 
- Sim, Ele criou Leis Divinas onde toda a natureza respeita,  tudo funciona corretamente, graças às essa Leis. Nunca o Sol apareceu no lugar a Lua, nunca a cachoeira ficou com sua água salgada, o mar doce... É por isso que tudo é belo e maravilhoso, não há tristeza na natureza. Nós seres humano precisamos aprender a respeitar essas Leis. Todas às vezes que não respeitamos nós sofremos.

6- Deus é único? 
Sim, não há outro Deus.

7- Deus é imaterial? Podemos tocar Nele? 
Deus não é matéria, não podemos tocar Nele. Então dizemos que Ele é Imaterial.

8- Deus é Todo Poderoso? 
Sim, Ele sabe nosso mais íntimo pensamento e não acontece nada sem que Ele assim permita.
Cada atributo de Deus, foi escrito em um coração vermelho e conforme era comentado, era colado abaixo da palavra DEUS - PAI 

Para completar a aula

HISTÓRIAO CARNEIRINHO INSATISFEITO 

Adaptação da história "O carneiro revoltado"do livro A vida Fala - II - pelo espírito Néio Lúcio - FEB
Um carneirinho muito inteligente, mas indiciplinado, viu o quanto sua lã era útil, beneficiando a muita gente; e sentindo-se mais importante que os outros animais, revoltou-se contra a tosquia.
- Sou muito precioso - pensava - não vou passar frio, de tempos em tempos. Não quero mais ficar sem minha linda lã.
Assim,pensava o carneiro, esquecido das ricas rações que o alimentavam, lembrando-se apenas de examinar os prejuízos que supunha sofrer.
Muito triste, dirigiu-se ao Criador.
- Meu Pai, não estou satisfeito com a minha pelagem. A tosquia é um tormento. Modifique-me, Senhor!
O Criador, ouvindo-o perguntou-lhe:
- Que queres que eu faça?
Vaidosamente, o carneirinho lhe respondeu:
- Quero que minha lã seja de ouro.
Seu pedido foi satisfeito. O pequeno carneiro tornou-se todo de ouro.
Assim que o orgulhoso carneirinho se mostrou cheio de pêlos preciosos, várias pessoas o atacaram sem piedade. Arrancaram-lhe os pêlos de ouro, deixando-o machucado.
- Pai, os salteadores me roubaram! Mude novamente o que me cobre! Quero que minha lã seja de porcelana.
E o carneirinho teve sua lã transformada em porcelana.
Assim que apareceu na campina, uma enorme ventania quebrou-lhe os pêlos, deixando-o em chagas.
Muito aflito, foi ao Altíssimo e disse:
- Mude- me novamente. Quero que minha lã seja de mel.
A lã do carneirinho tornou-se de mel. Assim que se viu entre os companheiros, um enxame de marimbondos cobriu-o, sugando-lhe os pêlos doces de mel, e fazendo-o correr apavorado.
O pobre carneirinho voltou ao Altíssimo e falou:
- Pai, ainda desta vez não deu certo. Quero que minha lã seja como as folhas de alface!
Sendo atendido seu pedido, saiu mostando-se alegre, por ser diferente de seus companheiros. Quando passou pelos cavalos e burros, não conseguiu sorte melhor que nas vezes anterirores. Comeram-lhe as folhas e deixaram-no muito ferido.
Novamente o carneirinho foi em busca do Criador e disse-lhe, entre lágrimas:
- Pai, não suporto mais! Não quero ser superior aos meus irmãos. Quero voltar a ser o carneirinho que sempre fui!

O Criador, penalizado, mas satisfeito com a transformação do carneirinho, sorriu e fez voltar a ser o que era antes. E o carneiro voltou a ter lã branquinha e bonita, compreendendo que seus tosquiadores eram seus amigos. Davam-lhe de comer e de beber e nunca o deixaram ferido.
Feliz, o carneirinho juntou-se aos seus companheiros no vale, agora satisfeito por entender que Deus é sábio naquilo que faz.

Para finalizar, foi perguntado, o que a história fez pensar... 

- o carneirinho percebeu que Deus sabe o que é melhor para cada filho.

ATIVIDADE - DESENHO LIVRE.

Aula ministrada na Casa da Prece Jesus nos Guie. 
Elaine Saes 
                              *********************************************************************

AMOR À DEUS - aula II
Minhas aulinhas não terão faixa etária, a linguagem deverá ser adaptada às crianças que estiverem em sala,o importante deverá ser a mensagem transmitida sobre o tema proposto.
Sempre após as perguntas é importante ouvir as respostas, e depois complementar,  o importante das aulas não é quantidade de informações, mas sim, que as crianças compreendam a mensagem. Frequentemente se fará necessário repetir, determinados assuntos, Isso será da intuição do evangelizador, conforme sentir o conhecimento e inclinações dos aluninhos.
Lembrando que no quadro deverá ficar colada figuras e frases da aula anterior, facilitando a sequência do estudo.

SALA DEVE ESTAR PREPARADA
Imagens devem estar coladas no quadro para facilitar e auxiliar na lembrança da aula passada

PREPARANDO O EMOCIONAL DAS CRIANÇAS PARA INÍCIO DA AULA.
Dado horário de início, com a luz apagada fazer um relaxamento, levando mentalmente, as crianças para uma praia ou um campo e narrar as sensações ali encontradas, como por ex: a areia, a brisa, as ondas tocando os pés... Deixar sua imaginação trabalhar... Alguns minutos depois, convidar a todos para voltar à casa de caridade onde estão sendo recebidos por irmão de luz, já na salinha de aula, façam a prece de abertura.

INÍCIO DA AULA
1- Quem lembra do que falamos na aulinha passada? (Junto com as crianças, fazer uma retrospectiva da aula anterior, pois geralmente há criança nova ou aquela(as) que  faltou na aula passada.)

O nosso primeiro dever é amar à DEUS, NOSSO PAI, por tudo de bom, belo e justo que proporciona a todos seus filhos. ELE nos deu a vida e nos auxilia em nossa purificação.

2- Como devemos demonstrar nosso amor à DEUS?
Cuidando de suas criações. 

3- Devemos cuidar de nós? 
Sim. Vocês sabiam que nós somos espíritos? E somos formado por  3 coisas?
O espirito+corpo espiritual ou perispírito +corpo físico, (para facilitar e ilustrar sugiro fazer um desenho de uma pessoa e uma cópia fiel em papel vegetal onde na cabeça deve se fazer um círculo brilhante exemplificando o espírito, unir os dois com um fio de cor prata.)
Os dois corpos estão unidos e tudo que acontece com um reflete no outro. Por exemplo quando estamos triste quem fica triste e nosso espírito (pensamento) ai da vontade de chorar, quem chora é nosso corpo físico.
Quando nos dormimos o nosso corpo físico fica descansando, refazendo suas energias e o nosso corpo espiritual vai para onde nosso pensamento mandar, por isso devemos fazer nossa oração é pedir ao nosso anjo da guarda que nos guie para bons lugares, onde possamos aprender e rever nossos entes queridos com paz a alegria.

4- Na sua opinião o que é mais importante cuidar do corpo físico ou do corpo espiritual? (Desenho de uma balança como as duas palavras e cada bandeja)
Ouvir as resposta e complementar:
 OS DOIS. eles estão ligados e um influência o outro.

5- Como devemos cuidar de nosso corpo físico?  (Depois de ouvir os comentários, devemos completar se necessário
Com higiene, alimentando, com horas de repouso, laser e exercícios.

6- Como devemos cuidar de nosso corpo espiritual, que também é conhecido por perispírito? (Depois de ouvir os comentários, devemos completar se necessário)
Com bons pensamentos, boas leituras, bons filmes, boas musicas, não falando palavrões, não fazendo brincadeiras de mau gostos com ninguém, cuidando da natureza, respeitando os mais velhos, fazendo nossas orações.

Tudo o que recebemos através dos nossos sentidos, visão, audição, tato, vai direto para o nosso cérebro e vira pensamento, e esses pensamentos passam para nosso corpo espiritual e fica ali colado em forma de cores.
 Se estamos felizes nosso corpo espiritual fica em tons claros, se estamos tristes ou com raiva ele reflete cores escuras.
Quando desencarnamos viveremos no plano espiritual com nosso perispírito e lá somos o que pensamos.

(Caso haja crianças muito pequenas, sugiro após essas explicações mostrar ilustrações coloridas que  demonstrem o que é bom para o espírito e o que não é bom. Perguntando a cada figura mostrada se elas acham que o personagem estão fazendo o bem para o espírito e para o corpo físico. Deixar colado no quadro.)

Para as crianças maiores do livro Pai Nosso de Meimei.

Para completar a aula

HISTORINHA - O ALIMENTO ESPIRITUAL

O professor lutava na escola com um grande problema.
Os alunos começaram a ler muitas histórias de homens maus, de roubos e de crimes e passaram a viver em plena insubordinação.
Queriam imitar aventureiros e malfeitores e, em razão disso, na escola e em casa apresentavam péssimo comportamento.
Alguns pronunciavam palavrões, julgando-se bem-educados, e outros se entregavam a brinquedos de mau gosto, acreditando que assim mostravam superioridade e inteligência.
Esqueciam-se dos bons livros.
Zombavam dos bons conselhos.
O professor, em vista disso, certo dia reuniu todas as classes para a
merenda costumeira, apresentando uma surpresa esquisita.
Os pratos estavam cheios de coisas impróprias, tais como pães en-
volvidos em lama, doces com batatas podres, pedaços de maçãs com tomates deteriorados e geléias misturadas com fel e pimenta.
Os meninos revoltados gritavam contra o que viam, mas o velho educador pediu silêncio e, tomando a palavra, disse-lhes:
— Meus filhos, se não podemos dispensar o alimento puro a beneficio do corpo, precisamos também de alimento sadio para a nossa alma. O pão garante a nossa energia física, mas a leitura é a fonte de nossa vida espiritual. Os maus livros, as reportagens infelizes, as difamações e as aventuras criminosas representam substâncias apodrecidas que nós absorvemos, envenenando a vida mental e prejudicando-nos a conduta. Se gostamos das refeições saborosas que auxiliam a conservação de nossa saúde, procuremos também as páginas que cooperam na defesa de nossa harmonia interior, a fim de nunca fugirmos ao correto procedimento.
Com essa preleção, a hora da merenda foi encerrada.
Os alunos retiraram-se cabisbaixos.
E, pouco a pouco, a vida dos meninos foi sendo retificada, modificando-se
para melhor. 

ATIVIDADE - DESENHO LIVRE.

Aula ministrada na Casa da Prece Jesus nos Guie. 
Elaine Saes

                            ****************************************************************
PRECE - aula III
Minhas aulinhas não terão faixa etária, a linguagem deverá ser adaptada às crianças que estiverem em sala,o importante deverá ser a mensagem transmitida sobre o tema proposto.
Sempre após as perguntas é importante ouvir as respostas, e depois complementar,  o importante das aulas não é quantidade de informações, mas sim, que as crianças compreendam a mensagem.Frequentemente se fará necessário repetir, determinados assuntos, Isso será da intuição do evangelizador, conforme sentir o conhecimento e inclinações dos aluninhos.

SALA DEVE ESTAR PREPARADA
Imagens devem estar coladas no quadro para facilitar e auxiliar na lembrança da aula passada

PREPARANDO O EMOCIONAL DAS CRIANÇAS PARA INÍCIO DA AULA.
Dado horário de início, com a luz apagada fazer um relaxamento, levando mentalmente, as crianças para uma praia ou um campo e narrar as sensações ali encontradas, como por ex: a areia, a brisa, as ondas tocando os pés... Deixar sua imaginação trabalhar... Alguns minutos depois, convidar a todos para voltar à casa de caridade onde estão sendo recebidos por irmão de luz, já na salinha de aula, façam a prece de abertura.

INÍCIO DA AULA

- Já sabemos o que é Deus?

- Já sabemos Quais são Suas criações ?

- E também já sabemos como demonstrar o nosso Amor por Deus? 

- Agora quando queremos conversar com Deus como devemos fazer?
Quando quisermos falar com Deus devemos ter o pensamento limpo, devemos fazer silêncio e conversar como conversamos com um pai, sem medo, deixando fluir os nossos sentimentos, assim estaremos abrindo nosso coração pois  Deus é um Pai amoroso, sábio e justo, sabe quem somos e quer sempre o nosso bem. 

- O que devemos conversar com Deus.
Devemos agradecer tudo de bom que Ele nos proporciona.
Devemos pedir ajuda na nossa evolução.
Ajuda para entender qual o caminho para se praticar o bem. ( no quadro poderá estar as imagens das boas ações da aula passada)
Ajuda para entender que sempre devemos pensar pensar antes de agir.
Ajuda no cumprimentos das nossos obrigações, evitando a má vontade, em casa, na escola, na casa de caridade, nos passeios.
Ajuda a respeitar Suas Leis. Pois só assim serei feliz.

- Para conversar com Deus Precisamos estar em algum lugar especial?
Deus está em todos os lugar. Por isso não precisamos estar em algum lugar especial, somente fazendo silencio dentro de nós, limpar nossa mente de todos os pensamentos e conversar com ELE. Isso se chama prece, reza ou oração. Sabe o que é mais importante ? 
O principal é que deve  ser sempre sincera, verdadeira, mostrando realmente o que estamos sentindo. 

- A prece trás benefícios para nós? 
Sim a prece nos acalma, nos mostra qual o caminho do dever. Nos protege e fortalece a alma. Nos equilibra o espírito.

- Podemos fazer prece para outras pessoas?
Sim, tanto para os encarnados como para os desencarnados. Cada bom pensamento é energia boa que enviamos, àquele que desejamos. Dando força e equilíbrio.

- É importante fazer-mos nossas prece diariamente?
Sim.
É importante fazermos nossas preces quando acordamos, na hora das refeições e antes de dormir.
-Quando acordamos agradecemos a Deus pelo noite de sono. Pedimos auxílio no dia que se inicia. 
-Na hora das refeições, devemos agradecer ao alimento, que ele fortaleça nosso corpo  físico.
-Na hora de dormir devemos agradecer o dia é pedir para que na hora em que nosso espírito se  do corpo, seja levado pelo nosso anjo da guarda para lugar bons. Junto de parente amados, onde iremos receber conselhos para melhor viver.

- Sempre que queremos somos atendidos em nossas preces?
Somos atendidos, alcançamos uma graça, quando agimos de forma errada.
Deus é um pai justo, e Ele dá ao filho somente o que for merecido. Existe uma frase que Jesus ensinou : - ajuda-te que o céu te ajudará.

- Existem  tantas  preces, será que quanto mais bonita e mais longa é a que Deus ouve melhor?
Não. 
Deus precisa que ela seja verdadeira. E que nossos ouvidos estejam entendendo o que nossa boca está falando. Mesmo as decoradas, nossos ouvidos devem entender o que nossos lábios estão falando.

Vocês sabiam que quando  Jesus estava vivendo na TERRA  Ele ensinava as pessoas sobre Deus, e ensinou prece Pai Nosso. 

Para completar a aula

Contar a historinha A SALVAÇÃO INESPERADA

Num país europeu, certa tarde, muito chuvosa, um maquinista, cheio de fé em Deus, começando a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para longa viagem, fixou o céu escuro e repetiu, com muito sentimento, a oração dominical.
O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas, quando, alta noite, ele viu, à luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pela sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem atenção e socorro.
Emocionado, fez o trem parar, de repente, e, seguido de muitos viajantes, correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se estavam ameaçados de algum perigo.
Depois de alguns passos, foram surpreendidos por gigantesca inundação que, invadindo a terra com violência, destruíra a ponte que o comboio deveria atravessar.
O trem fora salvo, milagrosamente.
Tomados de infinita alegria, o maquinista e os viajores procuraram a
pessoa que lhes fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia. Intrigados, continuaram na busca, quando encontraram no chão um grande morcego agonizante, O enorme voador batera as asas, à frente do farol, em forma de dois braços agitados, e caíra sob as engrenagens. O maquinista retirou-o com cuidado e carinho, mostrou-o aos passageiros assombrados e contou como orara, ardentemente, invocando a proteção de Deus, antes de partir. E, ali mesmo, ajoelhou-se, ante o morcego que acabava de morrer, exclamando em alta voz:
- Pai Nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome, venha a nós o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores, não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Assim seja.
Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem.
Todos os passageiros, crentes e descrentes, estavam também ajoelhados, repetindo a prece com amoroso respeito. Alguns choravam de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial, que lhes salvara a vida, por intermédio de um animal que infunde tanto pavor às criaturas humanas. E até a chuva parara de cair, como se o céu silencioso estivesse
igualmente acompanhando a sublime oração.

Do livro Pai Nosso de Meimei psicografado por Francisco Cândido  Xavier.

ATIVIDADE: 
DESENHO LIVRE.

Aula ministrada na Casa da Prece Jesus nos Guie.
Elaine Saes
              *********************************************************************************************
PRECE - A PRATICA DA ORAÇÃO - aula IV
Minhas aulinhas não terão faixa etária, a linguagem deverá ser adaptada às crianças que estiverem em sala,o importante deverá ser a mensagem transmitida sobre o tema proposto.
Sempre após as perguntas é importante ouvir as respostas, e depois complementar,  o importante das aulas não é quantidade de informações, mas sim, que as crianças compreendam a mensagem.Frequentemente se fará necessário repetir, determinados assuntos, Isso será da intuição do evangelizador, conforme sentir o conhecimento e inclinações dos aluninhos.

SALA DEVE ESTAR PREPARADA
Imagens devem estar coladas no quadro para facilitar e auxiliar na lembrança da aula passada

PREPARANDO O EMOCIONAL DAS CRIANÇAS PARA INÍCIO DA AULA.
Dado horário de início, com a luz apagada fazer um relaxamento, levando mentalmente, as crianças para uma praia ou um campo e narrar as sensações ali encontradas, como por ex: a areia, a brisa, as ondas tocando os pés... Deixar sua imaginação trabalhar... Alguns minutos depois, convidar a todos para voltar à casa de caridade onde estão sendo recebidos por irmão de luz, já na salinha de aula, façam a prece de abertura.

INÍCIO DA AULA

Relembrando a aulinha anterior colar no quadro frases em forma de pergunta:

1- O que é Prece?
2- Agrada a Deus a Prece?
3- Em nossa Prece devemos agradecer a Deus por tudo que ele nos dá?
4- O que Deus nos dá que devemos agradecer?
5- Em nossa Prece devemos pedir ajuda a Deus quando temos alguma dificuldade?
6- Quando fazemos Prece Deus sempre atende ao nosso pedido?
7- Pode-se fazer Prece pelos animais?
8- A Prece torna o homem melhor?
9- Devemos fazer Prece somente quando a mamãe ou o papai manda?
10- Como dever ser a Prece para que ela chegue até Deus?


Para completar a aula
Contar a historinha : Brincadeiras

Eduardo gostava muito de ir à escola. O que será que a professora - a senhora Cleide - iria ensinar? Mal entrou na sala de aula e ela foi falando:

- Crianças, hoje vamos brincar!

A alegria foi geral.

- Prestem bastante atenção! - e começou explicando a primeira brincadeira.

Ela mostrou o apagador e o deixou sobre a mesa, pedindo que observassem bem. Depois colocou uma venda nos olhos de Eduardo, que estava Do outro lado da sala, o fez girar algumas vezes e pediu que procurasse o objeto. Que dificuldade! As outras crianças gritavam:

Está quente! Está frio! - conforme Eduardo se aproximava ou se afastava do apagador.

Até que finalmente conseguiu!

Todos quiseram enfrentar o desafio de procurar o apagador com os olhos vendados. Em seguida a senhorita Cleide afastou as cadeiras e desenhou um oito bem grande no chão.

- Vocês deverão andar sobre est linha que desenhei no chão.

Eduardo pensou:

- Ah! Esta é fácil!

Mas a professora completou:

- Com um pé só!

 Foi uma confusão! Quase todos perderam o equilíbrio e caíram. Risadas e reclamações se misturavam no ar:

Então a senhorita Cleide deu uma bala a cada um e disse:

- para desembrulhá-la vocês só podem usar uma das mãos.

Que algazarra! Alguns, impacientes diziam:

- Não consigo! Professora!

No final da aula a senhorita Cleide perguntou o que haviam achado das brincadeiras. Todos gostarM, mas alguns observaram:

- Foi difícil andar sobre a linha pulando num pé só!

- É! E procurar o apagador de olhos fechados também! - diziam outros.

- Eu não consegui desembrulhar a bala usando só uma das mãos - queixou-se Eduardo.

Então a professora concluiu:

- Sentiram como nossos olhos são importantes e bons! E ter duas pernas para caminhar, duas mãos para desembrulhar balas...

As crianças ouviram atentas. A senhora Cleide perguntou:

- Quem nos deu olhos, pernas, mãos?

- DEUS!!! - responderam em coro.

- Nada mais justo do que agradecer a Ele por tudo, não é? Vamos dizer-Lhe isso numa Prece:

Muito obrigado Deus querido, por nossos olhos, por nossas mãos e pernas.

Eduardo chegou em casa faminto. lavou as mãos e sentou-se à mesa para comer. Ao pegar os talheres murmurou baixinho:

- Muito obrigado, Deus bondoso, pelas minhas mãos!

ATIVIDADE : DESENHO LIVRE.

Autor desconhecido 
Extraído da apostila Evangelização infanto-juvenil - jardim C - ed Aliança.

Aula ministra na Casa da Prece Jesus nos Guie

Elaine Saes
                       **************************************************************************************

FAÇAMOS AOS OUTROS O QUE QUEREMOS QUE OS OUTROS NOS FAÇAM - aula V
Minhas aulinhas não terão faixa etária, a linguagem deverá ser adaptada às crianças que estiverem em sala,o importante deverá ser a mensagem transmitida sobre o tema proposto.
Sempre após as perguntas é importante ouvir as respostas, e depois complementar,  o importante das aulas não é quantidade de informações, mas sim, que as crianças compreendam a mensagem. Frequentemente se fará necessário repetir, determinados assuntos, Isso será da intuição do evangelizador, conforme sentir o conhecimento e inclinações dos aluninhos.

Nessa aula estou me inspirando no método do filósofo Sócrates, a dialética, ele dizia que nada sabia, ensinava perguntando, levando seus discípulos a encontrarem as respostas. Acho muito interessante, estimular o raciocínio nesse mundo de imagens.

SALA DEVE ESTAR PREPARADA
Imagens devem estar coladas no quadro para facilitar e auxiliar na lembrança da aula passada

PREPARANDO O EMOCIONAL DAS CRIANÇAS PARA INÍCIO DA AULA.
Dado horário de início, com a luz apagada fazer um relaxamento, levando mentalmente, as crianças para uma praia ou um campo e narrar as sensações ali encontradas, como por ex: a areia, a brisa, as ondas tocando os pés... Deixar sua imaginação trabalhar... Alguns minutos depois, convidar a todos para voltar à casa de caridade onde estão sendo recebidos por irmão de luz, já na salinha de aula, façam a prece de abertura.

INÍCIO DA AULA
-No caminho de casa até aqui na casa da caridade fiquei olhando as ruas, as pessoas, as casas o céu...comecei a pensar... E se não existisse DEUS, como seria? ( deixar cada criança expor sua opinião, assim conseguimos perceber seu grau de entendimento.)

Nada existiria? Por que?
- Sim, nada existiria, porque foi DEUS quem criou tudo que há no Ceu e na Terra.


Tudo é tão belo na natureza o mar, o céu, o sol, as nuvens, as cachoeiras, os pássaros, as flores os frutos, nós. Tudo é tão perfeito. Porque?
- Porque foi Deus que criou, Deus é perfeito então suas criações são perfeitas.

Porque a natureza é tão feliz?
- Porque a natureza faz tudo direitinho como Deus assim o quer.

Lá em casa o que é preciso para que tudo esteja bem? Para que não haja discussões e tristezas?
- Ordem, obediência, deveres realizados, (isso significa disciplina), respeito.

Porque quando assisto os noticiários na TV vejo que há tanta violência ? 
-Porque somos filhos desobedientes ao PAI.

Será que existe alguma forma mágica para saber se estou obedecendo a Deus?
-Sim! É só você se fazer uma pergunta.
O que estou fazendo ao outro eu gostaria que me fizesse?
a minhaconsciência irá me dizer se estou certo ou não.

Vamos dar exemplos....
O que me fazem que não gosto?
O que eu poderia fazer ao outro que gostaria que ele me fizesse?



Para completar a aula

HISTÓRIA :PENSAR ANTES DE AGIR


Sendo Luizinho um menino muito arteiro, sua mãe o repreendia sempre pelas coisas erradas que fazia. Puxava o rabo do gato, brigava com a irmã, discutia com os colegas na escola, desmontava a bicicleta, quebrava o aparelho de som, entre outras coisas. Ao ser repreendido, caindo em si, Luizinho dizia:
— Desculpa, mamãe. Fiz sem pensar. Quando vi já tinha feito!
Por isso, a mãe precisava estar sempre atenta ao que Luizinho estivesse fazendo. Naquele dia, após outra arte, cansada das suas traquinagens, a mãe disse-lhe muito séria:
— Meu filho, você precisa pensar mais no que vai fazer. Você já tem oito anos e não pode agir como se tivesse três!...
Sentindo-se culpado, ele explicou:
— Eu sei, mamãe. Mas quando vi... já tinha feito!
— Pois é exatamente esse o ponto, Luizinho: você precisa pensar antes. Depois que fazemos alguma coisa, não há como voltar atrás. Por exemplo: Ontem você subiu no telhado da casa; poderia ter caído e se machucado seriamente! Outro dia, escondido, você acendeu um fósforo e colocou fogo num monte de coisas velhas que não queria mais, no seu quarto. E, se eu não visse, poderia ter queimado tudo em nossa casa! Felizmente, senti cheiro de fumaça e consegui apagar o fogo antes que causasse estragos maiores! E outro dia...
— Chega, mamãe! Sei que tem razão. Tenho agido muito mal. Prometo que não vou fazer arte de novo. Vou tentar melhorar — disse o garoto.
— Está bem, meu filho. Essa é uma decisão importante. Faça uma prece e peça ajuda a Jesus. Com certeza será atendido, desde que realmente deseje melhorar. Mas, antes de fazer qualquer coisa, pense: Eu gostaria que alguém fizesse isso comigo?      
E foi o que o menino fez. À noite, antes de dormir, pediu a Jesus que o alertasse quando estivesse para fazer algo errado. Assim, quando Luizinho acordou de manhã, pensou:
— Hoje vou fazer tudo direitinho, como a mamãe ensinou. Jesus vai me ajudar!
Cheio de bons propósitos, Luizinho saiu de casa. Na rua, a caminho da escola, viu Amanda à sua frente, uma colega de quem não gostava muito. Teve o impulso de puxar-lhe os cabelos e sair correndo. Quando já estava com a mão estendida, Luizinho se lembrou do que a mãe tinha dito, e pensou: Se eu estivesse no lugar dela, gostaria que fizessem isso comigo? Não, eu não gostaria! Então, baixou o braço. A garota o viu, ele sorriu para ela e começaram a conversar, seguindo juntos até a escola. E, afinal, Amanda não era chata como ele pensava. Era até bem simpática!...
Na hora do recreio, Luizinho viu Jorge, um garoto com um sanduíche na mão, preparando-se para comê-lo. Naquele momento, teve vontade de derrubar o lanche do colega no chão, só para ver a reação dele. Mas, de repente, ele pensou melhor, e desistiu, baixando o braço. Como estivesse perto, sentou-se ao lado do menino e começaram a conversar. Assim, ele ficou sabendo que Jorge era muito pobre e que aquele sanduíche sua mãe tinha preparado para ser comido no café da manhã, mas ele preferira levá-lo para comer na escola, de modo a se sentir igual aos demais garotos. Luizinho perguntou:
— Jorge, você até que é um cara legal! Por que vive isolado dos outros colegas?
— É porque sou muito tímido. Mas eu gosto de conversar, como estamos fazendo agora!
Eles saíram dali e foram brincar no escorregador e se divertiram bastante. Logo o recreio terminou e eles voltaram para a classe, mas agora eram amigos.
Retornando para casa, Luizinho encontrou um cachorrinho de rua e teve vontade de lhe dar um pontapé. Percebendo sua intenção, o animal encolheu-se contra a parede, cheio de medo. Mas, ainda uma vez, o menino pensou no que ia fazer, e parou. Vendo o cãozinho assustado, abaixou-se e fez-lhe um carinho. O animalzinho, agora com expressão diferente, fitou-o e lambeu-lhe a mão, aconchegando-se às suas pernas. Cheio de piedade, Luizinho levou seu novo amigo para casa.
A mãe ficou surpresa ao ver o filho chegar com o cãozinho, e o menino explicou:
— Mãe, eu encontrei este cachorrinho na rua. Pelo jeito, ele não tem dono. Posso ficar com ele?
— Pode, meu filho. Mas você será o responsável por ele. Ele vai depender de você.
— Pode deixar, mãe. Vou cuidar bem dele.
Luizinho arrumou um lugar para seu novo amigo dormir, colocou uma vasilha com comida e outra com água, e depois lhe deu um bom banho. Logo, o cachorro estava com outro aspecto.
Antes de dormir, a mãe foi desejar-lhe boa noite e viu que o animalzinho estava ao lado da cama. Sorriu, perguntando:
— Qual o nome dele?
— Malhado. Mamãe, viu como ele se tornou meu amigo?
— É verdade. Sempre que fazemos o bem recebemos coisas boas de volta. E a amizade é uma delas!
Luizinho pensou um pouco, depois comentou o dia que tivera:
— Você tem razão, mãe. Hoje, acordei com o propósito de fazer tudo certo, e, ainda assim, quase pus tudo a perder. Mas, quando ia fazer alguma coisa errada, algo me alertava e eu pensava nas palavras que me disse ontem à noite, isto é, que eu me colocasse no lugar da outra pessoa. E foi o que eu  fiz!...
E contou para a mãe tudo que tinha acontecido, terminando por afirmar:
— Graças a ter-me comportado bem, fiz tudo certo e ganhei três novos amigos hoje: Amanda, que não era chata como eu pensava; Jorge, que não conversava comigo porque é muito tímido, e que descobri ser bastante simpático. E, finalmente, o meu querido Malhado, que encontrou um lar. Por tudo isso, estou feliz, mamãe!... Estou em paz comigo mesmo e com os outros!... E tudo isso num único dia!...  
A mãe sorriu, envolvendo o filho num grande e afetuoso abraço.
— Entendo o que está sentindo, meu filho. Essa é a paz da consciência tranquila. Então, vamos fazer uma prece e agradecer a Jesus pelo dia que você teve hoje. E que os futuros dias também sejam cheios de bênçãos.                                                            
MEIMEI
(Recebida por Célia X. de Camargo, em Rolândia-PR, em 4/7/2011.)
Fonte: O Consolador

ATIVIDADE - DESENHO LIVRE.

                 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...